ORAÇÃO, caminho OPORTUNO

“Era o mês de Nisã, no vigésimo ano do rei Artaxerxes. Como o vinho estivesse diante do rei, eu peguei no vinho e ofereci-o ao rei. Como em sua presença eu nunca podia estar triste, o rei disse-me: “Por que estás com a fisionomia triste? Não estás doente. Isso só pode ser tristeza do coração”. Fiquei muito apreensivo e disse ao rei: “Que o rei viva para sempre! Como o meu rosto poderia não estar triste, quando está em ruínas a cidade onde estão os túmulos de meus pais e suas portas foram consumidas pelo fogo?” E o rei disse-me: “Que desejas?” Então, fazendo uma oração ao Deus do céu,eu disse ao rei: “Se for do agrado do rei e se o teu servo achar graça diante de ti, deixa-me ir para a Judeia, à cidade onde se encontram os túmulos de meus pais, a fim de que possa reconstruí-la”.O rei, junto de quem a rainha se sentara, perguntou-me: “Quanto tempo vai durar a tua viagem e quando estarás de volta?” Eu indiquei-lhe a data do regresso e ele autorizou-me a partir. Eu disse ainda ao rei: “Se parecer bem ao rei, sejam-me dadas cartas para os governadores de além do rio, para que me deixem passar, até que chegue à Judeia. E também outra carta para Asaf, guarda da floresta do rei, para que me forneça madeira de construção para as portas da cidadela do templo, para as muralhas da cidade, e para a casa em que vou morar”. E o rei concedeu-me tudo, pois a bondosa mão de Deus me protegia.”
(Ne 2,1-8)

​E a bondosa mão de Deus me protegia. É bem assim que me livra das tormentas e me agracia de bençãos. Também me acarinha com respostas de oração, sempre em repertórios inusitados e docemente nas palavras que um ou outro profeta enviado, resolve partilhar ou então apodera-se do recado divino, ofertando para meu deleite, em minha alma.

É o mestre que em nós anseia por viver em esplendor, não de vanglória, mas de humildade nas pequenas e ordinárias coisas cotidianas. Assim é a essência do seu espírito que permeia a minha alma envolta na couraça destemida da justiça. Tem ele um saber agrupado de todas as coisas, divinamente resplandecidas no humano. Deus, meu Deus, poderia eu passar o dia abrindo os meus lábios para louvá-lo e requerer dele apenas o sorriso de um amigo sincero, irmão solícito e amado de minha alma. Assim caminha a esperança e a beleza, dos ditos filhos de DEUS PAI, irmãos consubstanciados de DEUS FILHO, ungidos pelo DEUS ESPIRITO, maternalmente formados por uma mãe, uma mulher forte e ao mesmo tempo obediente que na mais linda oferta de sua vida, deste em amor ao criador, voltando sua alma para o fim maior, o designío de DEUS. Há gritos em almas desatentas e barulhos demais em corações endurecidos. Há lições em largar “tudo” e seguir, porque os mortos enterrem-se as partes. Como morto vai enterrar morto, pôs-se a alma a indagar?

Há morte violenta a todo aquele que se enche do barulho envolto e não ouve nem mesmo a voz latente do seu amado mestre, ante a face do príncipe do mundo que investe pesado e firme na tua referência, onde porás ela e de onde a manterá fixo teu olhar perdido, tua voz enfraquecida e teus pensamentos desconcertados?

Há morte facial quando o sorriso abandona a face, por não mais poder entreabrir-se, pois hospedou em sua alma a tristeza e a gélida falta de esperança, adquirida dos anseios humanos e mundanos cada vez mais exigidos por uma massa fria, calculista e maldosa. Morrem e matam os sonhos, mas na tentativa dessa morte, só quem não o viu sorrindo se desfaz nessa falsa aventura. O sorriso dele é encantador, deveria experimentar com mais frequência, sabes onde? Já falamos.

Há morte na escuta, toda vez que as más palavras e inclinações vertiginosas conduzem a pensamentos desconexos e frios, dotados de uma fatalidade única: confundir os poucos instruídos e se forem bem instruídos, tentarem contra sua conduta. Não permitas ser invadido pela voz bonita e acusadora, experimente por vez, a doce e ecoante voz do altíssimo, já escutou? Logo pautaremos.

Há morte por palavras deferidas, numa triste e vergonhosa tentativa, disfarçada de verdade e de amizade. Tendes pois cuidado aos que você intitula como amigo ou nomeia como procurador de suas dores ou defensor de suas causas. É coerente quando alguém lhe quer mal e põe em ti o mel das palavras de bajulação, ou de segredinhos, talvez até de promessas eternas de coisas inalcansáveis, como o refúgio certo no lugar incerto, te convidas pois a beber juntos, até cair, para que assim não te levantes mais. Te incitas a usar um decote para valorizar seu belo corpo, afinal não há mal em mostrar o que DEUS desenhou. Entre tantas outras falácias te convence do errado, do permissivo e do tudo que podes sem te ser conveniente. Ouvistes pois essas palavras erradas? Enquanto as certas retiniam em ​espaços únicos, convidando há permanecer. Por acaso já ouvistes? Já voltaremos a mencionar no timbre correto.

Espera pois que a alma esteja dilacerada para então recorrer ao Senhorio, daquele que a pertence. Tendes pois o bom ânimo de ausentares das escolhas erradas, lutando e permanecendo sem pautar, ou finalizar, quando muito, virgulando para tomar fôlego e de mãos dadas a vontade dele em breve diga: “Se me é possível, afasta este cálice de mim”, O SILÊNCIO, pode então imperar em você o fruto do abandono e designar o destino certo de tudo aquilo que até então era leve, passageiro e momentâneo. Experimente, então usar do IMPERATIVO, de sua extrema vontade, dando a sua alma a condição do Espírito prevalecer. Vamos?

Já falamos.Tantas vezes,você deve ter ouvido ao longo da sua vida que o bom permanece, que é feita de provações a vida de um cristão, que o homem escolhido por DEUS, precisa tomar a decisão de seguir, sem querer olhar para trás, ou despedir-se da vida antiga ou dos seus. Quantas despedidas será preciso fazer? Há de fim de turma, de fim de ano, de fim do vício, de fim da mentira ou do fim de seu mau caráter? É sempre assim, querer despedir-se por hoje e mais amanhã. Abra bem seus ouvidos e ouça a voz que nortea no deserto árido, ou no cenário de dor, sozinho num silêncio profundo. As melhores coisas são ditas no silêncio, nos ensina os Santos e se não bastasse o SANTO dos SANTOS, que ouviu de seu pai o silêncio, como resposta. Um silêncio especial é aquele que em meio a sua gritaria e necessidade de resposta não vem. É bom e doce, agrada a alma e recolhe a índole. Chama a de volta ao redil e pontua certeiramente que o comando melhor é ser comandado por quem te ama e por ti, vive e reina dentro do seu coração. Permita-se, ter silêncio, ser silêncio e emitir silêncio. É sábio.

Logo pautaremos. ​ Nada é sempre ou eterno, tudo passa, só DEUS não passa. E, as dores veem mas vão embora e não se iluda você precisa tirar uma lição delas, senão comumente voltam. Há escolhas certas nas pausas. Pare para descansar,quando sentires fraco, mas reabasteça na visita intima do Sacrário, EXISTE lá uma enorme força de um DEUS vivo e amigo verdadeiro, que não te troca, nem te vende, nem te entrega por 30 moedas, quando já deu em vida o precioso sangue por ti e saiba: ele sempre é vilipendiado pelas suas más decisões e dilacerado por suas atitudes diárias, capaz de feri-lo só por olhar em volta do seu umbigo, caracterizando assim a sua ignorância humana, sem querer pausar e aprender que é no espírito que sobrevivem os escolhidos e amados. Quer então fazer a experiência mais sublime e certeira de sua vida? Pause! Nas suas demências, nas suas vozes de ameça, nos seus gritos de soberba e se possível, na sua tendência de se desviar do bem. Com ele você e eu vamos conseguir, apenas pause.

Já voltaremos a mencionar no timbre correto.

​E, quando será? Que hora? Que dia? Se importasse mais com o agora, não teria tempo para cobrar dele o que dele é o tempo. Todas as coisas são no tempo certo. O que te fará conquistar em menos tempo é a ORAÇÃO! Não somente a vocal robótica, emitida por lábios abertos, provinda de um coração duro. Experimente ser puro de coração como os pequeninos, ore não somente de pé para ser visto ou seguido, ou representar a oratória. Ore no seu interior, emitindo os mais sinceros sons: te amo, te preciso, te quero, nada sou, nada tenho, tudo podes, tudo faz, tudo és. Aos poucos o coração toma a forma da verdade que liberta, que corre do sangue precioso e mistura ao espírito desnudo de prepotência. Onde habita DEUS, não há trevas e a luz que permeia, clareia a vida, os lábios, os olhos, as feições e te faz permanecer no equilíbrio. Não apenas acomoda ou assimila, mas equilibra: a vida com o viver, a morte com a ressureição, a alegria com o alegre e o sorrir com o sorriso. Percebe então a tranquilidade e serenidade dos que ouvem o timbre certo? És tu o filho do homem! Pronunciarás em meio aos olhos marejados, quando de certo deres por ti inteiro, ouvindo o timbre certo.​

Vamos?

​Jesus, vem comigo, no hoje, no agora e se possível nesse minuto que minha alma transcorreu do seu espírito e meu corpo tremeu ao te entender e sem meias palavras eu posso dizer-te: “Não preciso voltar e enterrar os meus, nem mesmo me despedir deles, pois hoje sei que tu tens palavras de vida eterna”
Só posso repetir sem cansar e sem parar.
JESUS eu te amo…
JESUS eu te amo….
JESUS eu te amo….​

Deus Abençoe !!!

Telma Silva Azevedo (Co-Fundadora)
Ministério RenovaMix – Evangelização sem Fronteiras
Agraciadas -STM