Sem Faz de Conta

“Rejubila, alegra-te, cidade de Sião, eis que venho para habitar no meio de ti, diz o Senhor. Muitas nações se aproximarão do Senhor, naquele dia, e serão o seu povo. Habitarei no meio de ti, e saberás que o Senhor dos exércitos me enviou a ti. O Senhor entrará em posse de Judá, como sua porção na terra santa, e escolherá de novo Jerusalém. Emudeça todo mortal diante do Senhor, ele acaba de levantar-se de sua santa habitação”.
(Zc 2,14-17)

​São convidados a permanecer e jamais voltar para o movimento inerte, tão sorrateiro que engana, distorce, planeja e contendeiramente desfaz as certezas em um coração frio, capaz de facilmente cair e caindo não voltar ao seu estado de latência, normal aos que contrariamente decidem  por buscar a vida infinita , onde o vento bate solto na face sem machucar e quando vem traz consigo boas noticias, realezas de uma alma em gozo.

Quando o ser é inundado da presença única e um amor que nada vai conseguir explicar, porque não se explica o que foi feito somente para ser sentido e expressar sorrisos fáceis,  que alegram qualquer um que recebe o mesmo,  como a luz que transpassa a alma. É bom vestir o perfume desse amor único e exalar a sua essência nas voltas da vida. Por onde for, a hora que for e quando ir, leva consigo a paz restauradora e nessa relação de gozo e paz, paz e vivência vai dando sentindo a tudo que um dia procurou. Quem bate a porta estreita tem como recompensa a entrada eterna. E o que é eterno jamais se mistura com o que é momentâneo. Dissera eu a você várias vezes que a sensação é forte, nada tem de tímida porque enlouquece o brado forte da verdade e na loucura do amor a cruz, dissemina os bons ventos. Numa relação única de alegria é comum você fazer as pessoas sorrirem e gostarem de estar ao seu lado, porque ao seu lado sentem a paz que um dia lhe fora roubada, porque ao seu lado sentem seguras das tantas incertezas que incutiram em sua memória e da qual você muitas e diversas vezes só perpetua. Pare! É chegada a hora de abrir todos os sentidos e deixar-se ser exprimido no sentido de conduzido à divina essência. Tadinho de você, que tantas vezes vai…tropeça….cai….e quando cai porque é apenas uma condição humana de limites e fraqueza, consegue rapidamente se recompor, pois é dado a vitória todo aquele que levanta após as quedas, mas as quedas assim justificadas pela fraqueza que és. Em contrapartida, numa via de duas mãos, tadinho de você que cava sua própria sepultura e nela enterra suas “obrigações morais” revestidas de seus ataques e transgressões espirituais, como aquelas que São Paulo, sempre exorta e dizia com tanta frequência, “tudo me é permitido, mas nem tudo me convém”. É assim um viés de verdade intríseca que adquire vez em sua alma e determina que seu estado prematuro de ignorância,  cumule na sua falta número 01, número 02…..e até que a morte os separe dessa triste situação comportamental, que te sabota a ser quem você é: MAL!

O bem que fazemos não é o que queremos, mas é o que precisamos tentar fazer sempre e cada vez melhor. Sozinho? Tadinho de cada um de nós que sozinho, entra na solidão perpétua e traça o enlace do pecado e o justifica conforme lhe aprouver. Sabote-te mesmo quando infere: sou capaz de manter somente o social, enquanto dentro de você fomenta a vontade de continuar naquilo que DEUS não escolheu para você, naquilo que o Espírito Santo lhe sopra e em tudo o que JESUS, lhe diz a todo instante. Mas, o grande problema de suas sabotagens pessoais é fazer com que um número maior de pessoas frágeis e desiludidas, sigam o seu tão mal exemplo, disfarçado na desculpa de que: eu consigo, porque já fui curado. Quem esta sendo curado, conhece primeiro a si mesmo, não se sabota, não se denigre e no passo da caminhada, vai à frente, sempre e rumo a frente, afinal tem do céu a ajuda necessária quando sempre precisa. Há! mas eu havia me esquecido, você se sabota.

O mal que fazemos é muitas vezes o que queremos, porque na relação do bem só cabe os cuidados, a prudência e consequentemente o bom conselho de quem tem a certeza que você vai se machucar e num lampejo vai chorar e o problema do chorar é que será agora sozinho. Escolhes-te errado quando deixou-se levar pelo “impulso” pela “imoralidade” pela “devassidão” pela falta de “humildade” e assim sabendo de tudo que um dia procurou saber e conhecer, foste bem avisado que a “quem muito foi dado, muito será cobrado”. Não se atreva a ser esperto na misericórdia, porque ela é gratuita e dada aos de boa vontade e em todas as más ações não há boa vontade. Quando o descumprir das promessas acontece como um tropeço lá no inicio da busca infinita de Deus, ele o bom JESUS se faz presente e lhe diz: Sei bem o que te passas, pois conheço e perscruto teu coração, e, cuidado é verossímel, ele de fato sonda e conhece e só entra no reino eterno quem tem as mãos limpas e o coração puro.

Puro para amar o belo e resolucionar o errado. É assim que o encontro se dá. A luz vem sobre a escuridão, dos dias chorosos e dolorosos, das imensas e infindáveis culpas e sabe por ser tão dolorido e fedorento o lamaçal você almeja em de lá sair.Ele te ampara e te limpa, fica então alva como a neve. E, quando esse fato é real ele é eterno. Da forma que você ainda vai cair, vai chorar, mas jamais vai se permitir entrar no lamaçal novamente, porque o eterno tem cheiro bom e a memória daqueles que o tem como hospede é singela, pura e sempre volta quando ele toca. Onde ele toca? Na canção que remete seu espírito a ele, no irmão fraterno que confiou em seu testemunho, no perfume que você exala o bem, o agradável e o permanente. Não há espaço para quedas que justifiquem a sua entrada mais, mais , uma vez. Assim só diz uma coisa, você brincou de saber quem ele era. Você leu os olhos dele pela metade, deixou por incompleto as lacunas quando o recebia na Eucaristia, porque esse momento é de habitação e se a  luz habita,  a treva não existe. Brinque menos, porque você não saberá a hora que será chamado a ir perante o seu trono, que não o julga com julgamentos de fazer-te pequeno, mas que o julga com JUSTIÇA e esta é uma verdade para quem é verdadeiro como ele chama a ser.

Sentes então alma eleita o gozo da luz que permeia a sua alma e na adoração de um DEUS vivo, faz-te uma nova criatura.
Quando ele toca, modifica.

Quando ele entra, transborda.
Quando ele convida, és presença.
Quando ele olha, ilumina.
Quando ele está,  não há outro, porque o verbo não cede lugar as complexas e infinitas respostas inacabadas.

Ele é o autor da vida nova, límpida e transparente.
Ele é o escritor das linhas desordenadas, que faz no fim uma bela história.
Ele é o maestro que toca a alma com uma fineza divina e permeia os sabores do céu.
Ele é o divino que em ti humano, só é verdade se tiver te transformado e para sempre.

O sempre é o lugar da verdade sem sabotagens,
O sempre é a capacidade de querer e lutar em ser melhor, fala-se de renúncias.
O sempre é o agora, se ele chegou, ele permanece.

Eu preciso lhe dizer, que fora disso você está numa completa furada. Num faz de conta que dou conta, faz de conta que sou de Deus, faz de conta que quis mudar, faz de conta que encontrei o meu chamado, faz de conta que eu sei quem ele é.

Tadinho, não há lugar reservado para o morno e menos ainda para o que sabe o que é preciso fazer.

Jesus….entra….a minha porta eu abri e esta aberta…..hoje, amanhã e sempre, porque desde o dia que te encontrei, nunca mais fui a mesma, nunca mais tive duvidas em renunciar o meu eu, pelos teus anseios e de ti só tenho recebido a plenitude de dias em tua presença.Amo-te e dá-me a capacidade de amar ainda mais, hoje, amanhã, até o nosso beijo eterno, que sela nossa aliança firmada, enquanto eu sou uma simples e mera humana. Ele me diz: só é preciso querer e renunciar. Esta disposta?

Deus Abençoe !!!

Telma Silva Azevedo (Co-Fundadora)
Ministério RenovaMix – Evangelização sem Fronteiras
Agraciadas -STM